publicação do edital no pregão eletrônico

Escolha do portal no pregão eletrônico

Finalizando a etapa de lances no pregão eletrônico

Encerramento dos lances no pregão eletrônico

Lances no pregão eletrônico

Etapa de lances no pregão eletrônico
Credenciamento no pregão eletrônico
Impugnação do edital no pregão eletrônico
Elaboração do edital no pregão eletrônico
Pesquisa de marcado no pregão eletrônico
Quando usar pregão eletrônico
Pregão eletrônico
Pregão presencial passo a passo
Recursos administrativos no pregão

Publicação do edital no pregão eletrônico


A publicação do edital no pregão possui prazo e forma própria em relação às modalidades da Lei 8.666/93 .
Inicialmente, a publicação nos prazos e locais abaixo indicados será do “aviso do edital” (e não do edital completo):


Lei 10.520/02 , art. 4º (...), II - do aviso constarão a definição do objeto da licitação, a indicação do local, dias e horários em que poderá ser lida ou obtida a íntegra do edital.

O aviso do edital deverá conter a definição do objeto a ser licitado, a modalidade, a data, horário e local no qual ocorrerá a licitação (no caso de pregão eletrônico o endereço eletrônico onde ocorrerá a sessão) e a indicação de local/dias/horários onde os interessados poderão obter a íntegra do instrumento convocatório.

Nas modalidades da Lei 8.666/93, o § 2º do art. 21 determina os seguintes prazos mínimos entre a publicação do edital e a data do certame:

Na modalidade pregão, presencial ou eletrônico, o prazo mínimo entre a publicação do edital e a data do certame é definido pelo art. 4º, V, da Lei 10.520/02 , sendo de 8 (oito) dias úteis.

Portanto, da data de publicação do edital e sua efetiva disponibilidade aos interessados, até a data marcada para a sessão de abertura do pregão , o prazo estipulado pela Administração não poderá ser inferior a 8 dias úteis. Poderá ser superior a isto, mas nunca inferior.


É importante lembrar que o prazo apenas inicia-se da publicação + efetiva disponibilidade do edital aos interessados (ou seja, não somente da publicação do aviso, mas, também, de que o edital esteja disponível no local indicado pelo aviso para que todos os interessados em obter a íntegra do edital possam consegui-lo, conforme Lei 8.666/93, art. 21, § 3o :

“Os prazos estabelecidos no parágrafo anterior serão contados a partir da última publicação do edital resumido ou da expedição do convite, ou ainda da efetiva disponibilidade do edital ou do convite e respectivos anexos, prevalecendo a data que ocorrer mais tarde”.

Até o momento anterior à sua publicação, ainda na fase interna, o edital pode ser modificado pela Administração.

Entretanto, uma vez publicado o edital, iniciada a fase externa, qualquer modificação efetuada no instrumento convocatório que implique em alteração das propostas ou documentação dos licitantes, exige nova publicação com nova abertura do prazo de 8 (oito) dias úteis.

Nesse sentido, aplica-se ao pregão a regra do art. 21, § 4º,Lei 8.666/93, a saber:

§ 4o Qualquer modificação no edital exige divulgação pela mesma forma que se deu o texto original, reabrindo-se o prazo inicialmente estabelecido, exceto quando, inqüestionavelmente, a alteração não afetar a formulação das propostas.

Há necessidade de se divulgar qualquer modificação no edital pela mesma forma em que se deu o texto original, reabrindo-se o prazo inicialmente estabelecido, exceto quando, inquestionavelmente, a alteração não afetar a formulação das propostas. (TCU. Processo nº TC-350.024/97-9. Decisão nº 221/1997 – Plenário. Relator: Ministro Bento José Bugarin, Brasília, 30 de abril de 1997).
Nesse sentido:

Se a Administração introduzir alteração após publicado o aviso, deverá renovar-se a publicação. Se assim não fosse, haveria redução do prazo mínimo. Admite-se, porém, a desnecessidade da nova publicação quando a alteração for secundária e irrelevante para formulação das propostas.

Quanto ao local para a publicação do aviso do edital, determina o regulamento federal nº 5.450/05:

PREGÃO ELETRÔNICO (Art. 4º, I, Lei 10.520/02 ; Decreto Federal nº 5.450/05, art. 17, incs. I, II e III)

Para bens e serviços até R$ 650.000,00:

1. No Diário Oficial do respectivo ente federado; e
2.Em meio eletrônico, na internet.

Para bens e serviços de valores estimados de R$ 650.000,01 até R$ 1.300.000,00:
1. No Diário Oficial do respectivo ente federado;
2. Em meio eletrônico, na internet; e
3. Em jornal de grande circulação local.

Para bens e serviços superiores a R$ 1.300.000,00:
1.No Diário Oficial do respectivo ente federado;
2. Em meio eletrônico, na internet; e

3. Em jornal de grande circulação regional ou nacional.
www.comprasgovernamentais.gov.br .

A publicação poderá ser feita em sítios oficiais da administração pública, na internet, desde que certificado digitalmente por autoridade certificadora credenciada no âmbito da Infra-Estrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil.


De acordo com a Lei nº 9.755 de 16 de dezembro de 1998 e IN nº 28, de 5 de maio de 1999, a União, Estados, Distrito Federal e Municípios deverão remeter para o Tribunal de Contas da União (TCU) os resumos dos instrumentos de contrato ou de seus aditivos e; as relações mensais de todas as compras feitas pela Administração direta ou indireta da União, Estados, DF e Municípios.

O TCU mantém a homepage Contas Públicas com o fito de promover o acesso a estas e outras informações de que trata a Lei 9755/98 , em atendimento ao princípio da publicidade .

Deverão divulgar as informações em link no próprio site do órgão/entidade (art. 4º,IV, L.10.520 c/c L. 9.755/98 e IN 28/99).

Mas atenção: a publicação do aviso é obrigatória. A simples disponibilidade via internet não substitui a publicação nos meios acima previstos (D.O., jornal)